#05 coisas que (des)aprendemos sobre Criatividade, com os alunos da /Eu, não robô!

Eu, não robô!

#05 coisas que (des)aprendemos sobre Criatividade, com os alunos da /Eu, não robô!

Karin Braun
Escrito por Karin Braun em dezembro 17, 2019

Na última terça-feira, encerramos o primeiro ciclo da /eu, não robô – nossa trilha de humanidade aumentada – na PUCPR. Foram 40 horas dedicadas à criatividade e resolução de problemas, e o que aprendemos com essa experiência? Separamos alguns feedbacks dos nossos alunos para compartilhar com vocês, dá uma olhada!

“Aprendi que criatividade é uma habilidade que pode ser desenvolvida e aperfeiçoada por qualquer um.” 

Criatividade não é um dom, e também não é uma habilidade exclusiva dos Designers, Publicitários e Artistas. Quem falou isso foi a Tiffany Guim, estudante do 10º período de Engenharia de Produção da PUCPR. Criatividade serve para todas as áreas, sendo parte fundamental do processo de resolução de problemas complexos em qualquer uma delas.

“‘É melhor feito do que perfeito’. Aprendi a ser menos perfeccionista e a ser mais prática.” 

O que a Brenda Back, do 9º período de Arquitetura e Urbanismo tirou de lição é que não basta ter boas ideias, é preciso colocá-las em prática. Sabe o que é melhor que uma ideia brilhante anotada no post-it? É testar um protótipo dela, imperfeito, e aprender com os erros. Pra essa frase, a gente gosta da referência da Brené Brown, no livro A Coragem de Ser Imperfeito:

“A caminhada de 20 minutos que eu faço é melhor do que a corrida de 4km que eu não faço. O livro imperfeito que é publicado é melhor do que o livro perfeito que não sai do computador. O jantarzinho com comida chinesa entregue em casa é melhor do que aquele jantar elegante que eu nunca consegui fazer”.  

“Aprendi a amar os meus problemas” 

Problemas, desafios, dificuldades… Que tal mudar a lente e olhar para essas questões buscando por oportunidades que elas podem trazer? Sem preconceitos, sem ideias fixas, sem certezas pré-estabelecidas. Ir além do problema, pode trazer soluções e experiências incríveis para o Igor Ferrari, do 2º período de Ciências Econômicas.  

“Desaprendi a ser medrosa.” 

Tentar, se expor, estar disposto a errar – aprender com os erros! Se permitir errar é parte fundamental da criatividade, com essa liberdade nos permitimos sair do comodismo das ideias usuais e realmente inovar.

“Não se preocupe com as falhas. Você só precisa estar certo uma vez.” Drew Houston, Fundador do Dropbox.  

“Desaprendi a minha metade robô.” 

Além das habilidades técnicas, o que nos diferenciará das máquinas no futuro (para não dizer no presente), serão nossas habilidades humanas. Segundo análise do LinkedIn, em 2019 os empregadores buscaram por uma combinação de habilidades técnicas e sociais, com a Criatividade no topo da lista de habilidades desejadas. Ainda em 2019, durante o Fórum Econômico Mundial, Allen Blue, cofundador e VP de Gerenciamento de Produtos do LinkedIn comentou: 

“Alguns temem que os robôs destruam muitos empregos, enquanto os otimistas olham para um futuro de workplaces mais benevolentes onde as habilidades humanas dominam e os trabalhadores são liberados das tarefas mundanas.”

Você tem que criar a confusão sistematicamenteisso liberta a criatividadeTudo o que é contraditório, cria vida.” – Salvador Dalí 

Você também é apaixonado por criatividade? Saiba mais sobre criatividade inspirada na natureza, com Fred Gelli, clicando aqui.

Hey,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

One Reply to “#05 coisas que (des)aprendemos sobre Criatividade, com os alunos da /Eu, não robô!”

Bruna Borba

Adorei! Saber que a criatividade não nasce com a pessoa e sim pode ser desenvolvida me da um certo alívio. Obrigada por trazerem esse conteúdo.