A arte de identificar emoções para evoluir pessoal e profissionalmente

Soft Skills

A arte de identificar emoções para evoluir pessoal e profissionalmente

João Jovanaci
Escrito por João Jovanaci em maio 21, 2020
4 min de leitura

Você sabe identificar emoções de uma forma 100% segura? Normalmente situações inesperadas provocam sentimentos diversos e fica a dúvida: é medo? Insegurança? Alegria? Gratidão? Enfim, as emoções fazem parte do nosso dia a dia e é impossível (e antiprodutivo) tentar ocultá-las.   

Saber identificar as emoções é o primeiro passo para estabelecer uma comunicação consciente consigo mesmo e com as pessoas ao redor.  

Em abril rolou a 1ª Semana de Humanidade Aumentada promovida pela slash, um bate-papo incrível com profissionais do mercado. Em uma conversa sobre as soft skills mais desejadas pelo mercado com a Head Hunter Taís Targa, separamos o seguinte insight:  

Somos humanos. Acolha as suas emoções. Nós não escolhemos as emoções, mas podemos fazer a gestão delas. 

Por isso, na publicação de hoje vamos falar um pouquinho mais sobre as emoções, como identificá-las e a importância desse processo na vida pessoal e profissional. Então anota aí e vamos lá!   

A IMPORTÂNCIA DE IDENTIFICAR EMOÇÕES 

Se você parar para analisar, vai observar que as emoções são responsáveis por guiar grande parte da sua atitude diante das situações que vivencia. Um bom exemplo está nas pessoas tímidas que precisam falar em público.  

Ao encarar esse desafio, emoções como medo e ansiedade podem surgir e interferir diretamente no processo comunicativo dessa pessoa. Com isso, alguns sintomas podem aparecer, como o tremor, suor e até mesmo transtornos de fluência. 

Há uma citação atribuída a Roger Ebert que diz “Seu intelecto pode ser confuso, mas seus sentimentos nunca vão mentir”. Essa frase tem um significado bastante profundo e verdadeiro, já que as emoções são inerentes ao ser humano e não há como fugir delas.  

Daí a importância em identificar emoções. Mesmo que não seja possível evitá-las, pode ser possível controlá-las e com isso se beneficiar das seguintes maneiras:  

  • Você poderá filtrar melhor as informações relacionadas à emoção recebidas do seu cérebro  
  • Você saberá traduzir melhor os seus pensamentos e ações  
  • Você saberá identificar no outro as emoções, permitindo mais facilidade na convivência  
  • O estresse gerado pela falta de controle das emoções diminuirá, refletindo até mesmo na saúde física 

Entre outros. 

QUESTIONE O SENTIMENTO 

 Como você viu, as emoções seguirão com você durante toda a sua existência. Por isso, cada vez que você foge é um passo atrás que você dá na busca pelo equilíbrio emocional. Sabendo que os sentimentos são inevitáveis, você tem condições de analisar as mais diversas situações e a correlação com cada sentimento. Por isso, uma boa prática pode ser questionar a emoção, por isso, pergunte-se: 

  • Qual é esse sentimento que surgiu agora? 
  • O que esse sentimento me diz sobre essa situação? 
  • Por que esse sentimento está acontecendo nesse momento? 

A partir dessa primeira análise, você terá mais argumentos de si mesmo para evoluir a uma observação mais profunda. Então, após identificar a emoção e o motivo do aparecimento dela naquele momento, examine:  

  • A intensidade dessa emoção corresponde de forma adequada à situação? 
  • Que possibilidades essa emoção te dá para expressar o que você sente?  
  • Quais são as possíveis consequências de tais ações? Para você e para os outros. 

AS 5 EMOÇÕES BÁSICAS  

São diversos os estudos e teorias que apontam as principais emoções do ser humano. Alguns deles são mais genéricos e outros preferem especificar mais cuidadosamente cada um dos sentimentos. Em 2017, por exemplo, pesquisadores norte-americanos apontaram 27 tipos de emoções identificadas durante um estudo com mais de 800 pessoas.  

Mas é possível observar alguns pontos em comum em grande parte dos estudos, pesquisas e teorias sobre as características das reações humanas no que diz respeito a emoção. Para nosso conteúdo de hoje, vou abordar os estudos do psiquiatra canadense Eric Berne, que contribuiu para a psicoterapia no apontamento das 5 emoções autênticas de cada pessoa: 

Raiva  

A raiva tem a capacidade de conduzir o indivíduo a ações involuntárias relacionadas a ataque ou defesa, incluindo movimentos agressivos e estímulo de força. Duas das características da raiva são: a sobrecarga de energia e o impulso na ânsia de eliminar algo que nos faz mal. 

Medo  

Apesar de ser considerado uma emoção negativa, o medo é um sentimento fundamental desde a infância. É o medo que nos dá a capacidade de avaliar situações de ameaça, diretamente ligadas a preservação da vida.  

Tristeza  

A tristeza, por sua vez, vai no sentido oposto às emoções acima. Enquanto a raiva e medo podem gerar impulsos, a tristeza pode ocasionar a cessão de movimentos. Normalmente é caracterizada pela perda de algo real ou alguma condição de vida. É a tristeza que nos ajuda a manter consciente de algo que perdemos ou sentimos falta. 

Alegria  

A alegria é a emoção que possibilita compreender os prazeres de momentos especiais. Sentir alegria também é sinônimo de recarregar as energias e combustível para as dificuldades, atuando como um verdadeiro incentivo à ação. Está diretamente ligada à autoestima e realizações.  

Afeto 

Por último, o afeto é o sentimento puro de carinho que pode se estender por diversos caminhos. O afeto é visto como o apego aos amigos nos círculos sociais ou familiares, por exemplo, mas ele não se limita a isso. Pode compreender também o afeto aos animais, por exemplo, e até mesmo objetos.  

Um dos fatores mais interessantes apontados por Berne está na manifestação independente de cada situação, ou seja, cada uma das emoções básicas manifesta-se de forma individual, sendo elas excludentes entre si. Dessa forma, seria impossível sentir raiva e tristeza ao mesmo tempo, por exemplo. 

Os tempos da emoção 

De acordo com o estudioso Antônio Pedreira, o método psicológico conhecido como análise transacional criado por Berne, as emoções passam por 3 momentos desde a liberação emocional no tronco encefálico até o efeito corporal. A isso, dá-se o nome de tempos da emoção: 

1º tempo 

O primeiro tempo é literalmente sentir a emoção, processo intrapsíquico programado em todo ser humano, independente de gênero, idade e outras especificidades.  

2º tempo 

Após o sentimento da emoção, abre-se caminho para a expressão verbal daquele sentimento. De forma resumida, é a tradução da emoção em palavras, quando o ser humano exterioriza o que sente na fala. 

3º tempo 

O terceiro e último tempo da emoção avança até a expressão do corpo, configurando a famosa linguagem corporal.  Músculos e movimentos podem ser estimulados de acordo com cada emoção.  

O AUTOCONHECIMENTO E OS SENTIMENTOS  

Conhecer a si mesmo é muito mais do que entender os próprios sentimentos. É ter a consciência do que você quer e onde pode chegar. Com o autoconhecimento é possível estabelecer objetivos para sua vida pessoal e profissional.   

“Aquele que conhece os outros é sábio; aquele que conhece a si próprio é iluminado”. 

Lao-Tsé 

E foi pensando nisso que nós criamos uma ferramenta com 4 perguntas para te ajudar na jornada de autodescoberta. Acesse e responda os seus principais porquês. 

Clique no botão abaixo e acesse a ferramenta!

Hey,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *