Como liderar times à distância? Veja 4 dicas fundamentais

Carreira

Como liderar times à distância? Veja 4 dicas fundamentais

João Jovanaci
Escrito por João Jovanaci em abril 23, 2020
7 min de leitura

O home office trouxe uma nova realidade para gestores, onde os desafios passaram a ser enfrentados à distância, junto com todo o time. Ao mesmo tempo em que garantir a produtividade é fundamental, cabe ao líder estar presente e desempenhar o papel que representa como gestor, apresentando-se como alguém de confiança para a equipe.  

Nesse momento as características de liderança devem ser ainda mais trabalhadas para que os colaboradores possam se sentir engajados, motivados e com a certeza de não estarem sozinhos, afinal, é uma situação nova e desafiadora para todos.  

Por isso, nosso conteúdo de hoje vai abordar um pouco mais sobre como liderar times à distância. Vamos lá?   

A FORMA DE LIDERAR ESTÁ NO CONTEXTO E NO PERFIL DO LIDER 

A LIDERANÇA DEVE SE ADAPTAR À SITUAÇÃO 

Liderar não significa seguir um roteiro pré-definido que funciona em todos os contextos. A liderança exige observação, pensamento crítico, análise apurada, Inteligência emocional e autoconhecimento. Isso significa que cenários diferentes precisam encontrar soluções diversas.  

Desenvolver um portfólio de micro comportamentos pode ser fundamental para que você possa manter o equilíbrio diante de situações diferentes, afinal, a rotina de um gestor nunca deve estar estagnada, principalmente quando o assunto é liderar times à distância. Portanto, em cada desafio tenha em mente: 

  • Observar as pessoas que você gerencia
  • Analisar o contexto no qual você está liderando  
  • Observar as pressões externas que podem ocorrer  
  • Considerar as tensões internas que a equipe ou funcionários apresentam  

Entre outros.  

Por outro lado, uma grande virtude do bom gestor também está na capacidade de desassociação, ou seja, conseguir fazer com que pensamentos, memórias, ambientes e ações pré-estabelecidas de acordo com a afinidade com cada colaborador possa ser deixada de lado em momentos que exigem o raciocínio lógico.   

GESTÃO DIRETA E GESTÃO INDIRETA 

A forma de gerir também pode estar diretamente ligada a quantidade de colaboradores na equipe. Se você possui um time enxuto é muito mais fácil criar um relacionamento mais próximo que permite o acompanhamento em detalhes das atividades. Além disso, times pequenos também dão a oportunidade para que você os conheça melhor, identificando os pontos fracos e fortes e até mesmo particularidades da vida pessoal dele, como hobbies, por exemplo.  

Por outro lado, se o número de colaboradores é grande, fica muito difícil um gerenciamento mais próximo ou individual. Nesse caso, existem duas maneiras para que você possa manter o controle da situação sem perder em produtividade e resultados.  

A primeira é definir ou contratar profissionais para que possam atuar também como gestores, mas ainda abaixo de você. Isso permitirá que você possa se dedicar mais facilmente às suas obrigações no campo operacional, mas ainda assim será o responsável pelo resultado e produção da equipe.  

Outra maneira é capacitar todo o time para que possam guiar a si mesmos nas tomadas de decisões, cronogramas, pautas e afins. Dessa forma, em um time colaborativo e com mais autonomia, as coisas tendem a fluir de uma maneira mais eficiente.  

Mesmo que haja independência por parte da equipe, é preciso que enxerguem alguém de referência para buscar auxílio em caso de necessidade. Por isso, nunca esteja 100% ausente, lembre-se que liderar é diferente de chefiar.  

Leia também: o papel de liderança na gestão de pessoas: que tipo de líder é você? 

DICAS PARA LIDERAR TIMES À DISTÂNCIA 

Defina padrões de comunicação com os funcionários 

É normal que os colaboradores possam encontrar certa dificuldade de adaptação à nova rotina, e isso inclui também os líderes. Naturalmente o home office dá a sensação de redução do sentimento de responsabilidade e dever, o que não significa falta de comprometimento. 

Por isso é importante estabelecer padrões para que aos poucos a equipe possa sentir-se novamente dentro de um ambiente corporativo, onde há regras, desafios, metas e mais. Um desses padrões pode estar diretamente relacionado a parte comunicativa entre o time.  

Nesse momento em especial, a comunicação exclusiva por e-mail não será suficiente. Aproveite a situação onde os colaboradores dispõem de outras formas de se comunicar, como aplicativos de mensagens, áudios e principalmente vídeo chamadas. 

Oferecer essas e outras formas de comunicação traz benefícios diretos ao colaborador, como: 

  • Aumentar a interação entre o time  
  • Compartilhar dicas, informações e curiosidades  
  • Colaborar para o conhecimento mútuo de todos do time com relação às atividades  
  • Reduz a sensação de isolamento  
  • Servir como instrumento para conversas mais complexas 
  • Aproveitar para conversas mais reservadas, dando a sensação mais pessoal do que e-mail 

E mais.  

Além disso, ao permitir novas formas de comunicação, sua equipe ganha em produtividade e colaboração rápida em conversas mais simples e informais.  

Estabelecer regras para a comunicação e o envolvimento também são importantes, considerando o meio, a frequência e os momentos ideais para o envolvimento. Você pode, por exemplo, definir que as reuniões de acompanhamento serão feitas sempre por vídeo chamada com todos os membros do time com frequência e recorrência pré-definidos. Enquanto isso, pode propor que mensagens em aplicativos de conversa sejam utilizadas somente em casos urgentes.  

Outro ponto positivo de um bom líder está na disponibilidade que ele tem para com os membros do time. Por isso, informe aos colaboradores o melhor horário e a melhor maneira para que eles possam se comunicar com você. 

Faça-se presente e incentive o lado profissional e pessoal 

Oferecer apoio emocional e incentivo também faz parte da conduta exemplar do líder, principalmente quando há uma mudança radical de rotina ou atividades, como no caso do home office e gestores que precisam liderar times à distância.

A forma mais convencional e correta de demonstrar essa preocupação é o diálogo sincero e transparente, em que existe a liberdade para que o líder pergunte “como você está lidando com essa situação?” ou “posso ajudar com algo?”  

Mas procure não deixar na superficialidade essa conversa, ouça atentamente o que o funcionário tem a dizer e busque identificar se há algum ponto de estresse ou ansiedade, muitas vezes o próprio funcionário busca esconder por medo de ser dispensado ou sentir-se inútil.  

Outra boa maneira de amenizar a tensão é promover a interação social entre os times, mesmo que virtualmente. A interação social permite aos colaboradores conversarem sobre outros assuntos não relacionados ao âmbito profissional, o que pode ser muito benéfico. E não é preciso muito esforço para promover alguns momentos de descontração. Você pode iniciar a reunião 5 minutos antes, por exemplo, unicamente para propor um papo descontraído, que pode começar com um “o que vocês fizeram de interessante nesse final de semana?”. 

Você também pode a participação ativa em grupos de qualquer tamanho ao utilizar de uma poderosa estratégia conhecida como Estruturas Libertadoras. São reuniões que despertam comportamentos ágeis e participativos, com o objetivo de auxiliar na construção de novos caminhos para o time ou então adaptação em mudanças organizacionais.  

Leia mais sobre estruturas libertadoras aqui.  

Ainda que pareça superficial, aos poucos o time vai dando mais abertura para compartilhar suas experiências e até mesmo frustrações, o que é uma ótima oportunidade de identificar o momento do funcionário e oferecer auxílio na medida do possível.  

Por último, não esqueça que o colaborador também pode e deve receber atenção pelos seus méritos, quando bate alguma meta, quando cria algum material incrível, quando tem boas ideias. Sempre o parabenize e reforce que ele é parte fundamental do time. 

Mantenha uma cultura de feedback ou contatos frequentes 

Muitos funcionários acabam não se desenvolvendo como deveriam por falta de feedbacks eficientes por parte do time gestor. E isso reflete diretamente os pontos fortes e fracos de cada colaborador, que, sem saber como está se desempenhando acaba caindo na rotina ou desmotivação.  

Esse talvez seja a grande diferença em termos de pontos de vista. Instituições estão acostumadas a oferecer feedback como uma forma de fazer com que a equipe passe a ser mais produtiva e entregar mais resultados, mas com o foco totalmente na empresa.  

Quer aperfeiçoar o processo de feedbacks? Baixe nossa ferramenta grátis 👇

Por outro lado, o verdadeiro sentido da ação é orientar e estimular o colaborar para que ele possa identificar em si mesmo o que há de melhor que pode ser ainda mais explorado e os pontos de melhoria, como pessoa, não só como profissional.  

Além disso, o feedback é uma das melhores maneiras para criar laços de confiança entre o líder e o colaborador.  Por isso em termos de liderança à distância essa ferramenta se torna ainda mais importante.  

Portanto, defina uma rotina de feedbacks, que pode ser mensal, quinzenal ou semanal. No caso do home office, nós sugerimos a semanal, sempre que possível, mesmo que seja breve. Além das observações a serem feitas, o feedback mantém também o alinhamento entre objetivos da empresa e do colaborador.  

Não deixe que o colaboradosinta falta de informação ou acesso à supervisão 

Existem colaboradores extremamente dependentes de supervisão, mas isso seria tema para outra publicação aqui no blog e em breve falaremos sobre isso. O que queremos dizer é que alguns funcionários sentem falta do suporte presencial de supervisão, o que impacta o desempenho e as entregas. Esse quadro pode ser amenizado desde que haja regular presença dos gestores, como temos dito nos tópicos acima.  

A falta de supervisão pode trazer algumas consequências como: 

  • Colaboradores sentindo-se desamparados com relação às atividades  
  • Sentimento de que os gestores não enxergam suas necessidades  
  • Sentimento de que os gestores não enxergam suas entregas ou conquistas  

E mais.  

Ofereça também aos membros da equipe uma infraestrutura que permita encontrar informações e materiais de forma rápida e fácil, principalmente quando o trabalho é à distância. Depender de muito tempo e esforço para encontrar informações é uma das situações mais contra produtivas em organizações.  

E aí, deu pra observar algumas situações e características importantes para liderar times à distância? Fique à vontade para deixar o seu comentário com mais sugestões e considerações.  

Continue acompanhando o nosso blog para mais dicas e informações sobre perfil de líderes, soft skills e mais.   

Hey,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *